terça-feira, 17 de maio de 2016

Imobiliário em 2016

Será o imobiliário uma boa aposta de investimento em 2016? Nos últimos anos o sector imobiliário verificou um grande abandono nesta área de investimento. Tal deveu-se à crise internacional que se tem vivido, ao grande aumento de spreads por parte dos bancos e por um clima geral de desconfiança. No último ano a procura por bens imóveis voltou a crescer e penso tratar-se de uma boa aposta para este ano, isto claro se adquirir um imóvel que esteja a um bom preço. Existem diverso fatores que estão a impulsionar a procura nesta área. Por um lado o investimento estrangeiro com a facilidade dos vistos gold e os incentivos fiscais para os reformados europeus. Por outro lado a melhoria das condições de financiamento (spreads) e também a grande procura que se tem verificado para aluguer de curta duração por parte dos turistas. Plataformas do tipo www.airbnb.com proliferam no mercado e facilitam o aluguer aos estrangeiros. Assim fique de olho aberto a algumas oportunidades que vão surgindo no mercado.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Crédito à Habitação: Será a Altura Certa?



Passado quase um ano desde a implementação da “Bazuca” por parte do Banco Central Europeu (BCE) e com as taxas de juro do crédito ao consumo a atingirem níveis historicamente baixos, será esta uma boa altura para contrair crédito à habitação?

O sentimento geral é que comprar casa voltou a ser atrativo, principalmente tendo em conta que, nos últimos anos, o paradoxo comprar vs arrendar tem pendido para a segunda opção. Basicamente, os custos do crédito à habitação estão a baixar.


Euribor em valores negativos


As principais razões são que, por um lado, a taxa Euribor está historicamente baixa, tal como os preços das casas, que também estão em queda, e por outro, muitos proprietários querem vender, urgentemente, as suas casas.

O indexante, utilizado na maioria dos contratos de crédito à habitação, está em valores abaixo de zero a 1, 3 e 6 meses, sendo a 12 meses a única positiva. Consequentemente, o spread, margem de lucro dos bancos, também tem diminuído para valores mais razoáveis, tornando o crédito à habitação mais acessível. 

Porém, nem tudo é fácil. Em primeiro lugar, porque nem toda a gente tem capacidade financeira ou acesso a boas condições de financiamento. Em segundo, porque normalmente as instituições financeiras exigem que sejam contratados outros produtos para além do crédito para reduzir o spread, tendo cada vez mais em conta a taxa de esforço, isto é, o peso que a prestação com crédito tem dentro do rendimento mensal do agregado familiar.

Para além disso, a avaliação do risco está, atualmente, mais rigorosa.


“Bazuca”: um tiro nas taxas de juro


Desde março que o BCE, através de um programa de ‘quantatitive easing’, compra ativos (títulos de dívida pública e privada) no total de 1,14 biliões de euros (cerca de 60 mil milhões de euros mensais). Está previsto que termine em setembro de 2016.

O principal objetivo deste estímulo económico é desarredar a deflação da zona Euro e fomentar o crescimento da economia europeia. Para isso, o BCE imprimiu dinheiro e comprou obrigações do tesouro aos bancos, que em troca ficaram com mais dinheiro para usar de diferentes maneiras: conceder mais crédito às empresas, famílias ou investir em novas ações.

Mas onde entra o crédito à habitação? O programa da entidade de Mario Draghi levou a que as taxas Euribor, que servem de indexantes à maioria dos créditos à habitação, se mantivessem em valores mínimos. Boas notícias para quem já tem crédito à habitação.

Mas também as há para quem está agora a pensar comprar casa, uma vez que as instituições têm feito cortes nos spreads, havendo agora cerca de 80% das instituições financeiras do mercado a praticarem valores abaixo dos 2%.

Analise todos os custos


É muito importante comparar as diferentes ofertas do mercado, para que se possa tomar a decisão mais ponderada e substanciada, uma vez que comprar casa acarreta um contrato de crédito a longo prazo.

Desta forma, é crucial que não se tomem decisões apressadas, assim como não ter em conta apenas o valor da casa e a prestação mensal. É primordial que conheça os impactos que as oscilações da Euribor possam ter na mensalidade, antecipando subidas que possam ocorrer e tendo a certeza que consegue pagar as prestações a tempo e horas.

E não se esqueça que terá outros custos associados, como condomínio, obras de manutenção, seguros, IMI, entre outros.

O crédito à habitação concedido pelos bancos está a aumentar, o que demonstra o retorno da confiança dos mercados. Segundo dados do Banco de Portugal, em dezembro de 2014 foram concedidos 279 milhões de euros, tendo sido o valor mensal mais alto desde 2011. Se está a equacionar comprar casa, talvez seja uma boa altura...



--

Este artigo foi produzido pela equipa do ComparaJá.pt, a mais recente plataforma online de agregação e comparação de produtos financeiros em Portugal, como cartões de crédito e crédito pessoal.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Crédito Consolidado

Por vezes o recurso ao crédito torna-se inevitável para colmatar um imprevisto, fazer um investimento ou até cometer uma extravagância.

O Recurso ao crédito pode ser uma coisa boa se daí obtivermos proveitos.




Por vezes damos por nós com diversas prestações de crédito e um salário cada vez mais reduzido para fazer face às despesas diárias. Existem algumas empresas no mercado que ajudam na gestão e consolidação dos diversos créditos/mensalidades de uma pessoa.

Pode tratar-se de uma boa opção. O melhor será pedir propostas e analisar as mesmas.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Melhor pacote de tv, internet, telefone

Os pacotes de televisão, internet e telefone representam uma fatia considerável do orçamento e por isso convém fazer uma análise do pacote que melhor se adequa ao seu agregado familiar.

O tri play da Vodafone é de excelente qualidade e preço. Trata-se neste momento da melhor oferta do mercado tendo em conta a relação qualidade e preço. Eu tenho o serviço e recomendo. Por apenas 25,90 € mensais a Vodafone oferece internet (50Mbps), televisão (mais de 100 canais) e telefone (chamadas grátis para a rede fixa). O pacote da Vodafone é o mais barato do mercado e apresenta uma qualidade excelente. Aderi recentemente a este serviço e encontro-me muito satisfeito. Se quiser aderir e ter uma mensalidade grátis envie-me um email(araujo@poupareinvestir.com). A Vodafone oferece uma mensalidade a quem recomenda e a quem é recomendado.

Também a nos e a meo apresentam outras soluções, consulte sempre os 3 operadores antes de tomar uma decisão

O único contra são os habituais 24 meses de fidelização.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Poupar em eletricidade e gás

A eletricidade no mercado livre


No mercado livre da electricidade é importante deixar claro dois conceitos: quem faz a distribuição e quem comercializa a electrecidade. Em Portugal, a distribuição eléctrica está ao abrigo da EDP Distribuição, o que significa que qualquer ligação a esta rede será feita segundo as condições desta companhia. No caso da comercializadora, o cliente tem a liberdade de escolher a companhia (das acima mencionadas), que melhor se adapata às suas necessidades. Desta forma sabemos que a qualidade do fornecimento é sempre a mesma, independentemente da comercializadora, pois esta é da responsabilidade da EDP Distribuição.


O gás natural no mercado livre


A ligação à rede é realizada através da distribuidora de gás natural. O que significa que seja qual for a companhia comercializadora que o cliente contrate, a qualidade será sempre a mesma, sendo da responsabilidade da distribuidora da zona.  Nos mercado livre de gás natural, temos como princpais companhias a actuar: a EDP comercial, a Galp Energia e a Goldenergy.


Comparar as tarifas energéticas


Pode-se afirmar que o primeiro passo para a mudança é proceder à comparação das tarifas energéticas, das diferentes companhias. É, sem dúvida, um dos passos mais importantes, pois é aquele que nos ajudará a analisar a nossa situação actual face a uma possível mudança que nos ajudará a melhorar o nosso consumo, ou seja, que nos ajudará a poupar. A Lojaluz tem um papel fulcral nesta fase, pois pode encontrar no seu site ou através de um contacto telefónico, todos os esclarecimentos, quanto a tarifas vigentes no mercado livre energético e, automaticamente, terá respostas às suas dúvidas como, mudar ou não de companhia, passar para o mercado livre ou não, quanto vai poupar e como funcionam todos estes procesos.


Alterar a potência


Outra questão que não deve ser descurada é a da potência contratada. Quando o cliente efectua uma nova ligação da luz deve fazer um estudo prévio e saber que potência deve contratar. Para tal, pode solicitar o serviço de um eletricista profissional ou, pode através de estimativa, calcular o consumo habitual. O consumidor deverá dispor de uma ficha técnica ou certificado onde conste indicado a potência que pode contratar.  A potência que o cliente escolher num momento, não é fixa, podendo mudá-la quantas vezes necessitar de acordo com as suas necessidades.


Poupar na energia


A luz é um serviço básico de que todos temos necessidade. Assim, é importante ser inteligente nas escolhas que são feitas, de forma a poupar na eletricidade. Com todas as informações acima referidas, e conjuntamente com a ajuda da LojaLuz, do seu site e de um atendimento personalizado, o cliente poderá poupar, significativamente, na sua fatura de energia. Para tal, terá de avaliar as ofertas existentes no mercado, perceber qual a que melhor se adapta às suas necessidades e, por fim, contactar a companhia escolhida para que seja dado início ao processo de mudança e, acima de tudo, de poupança.



A LojaLuz pertence ao Grupo empresarial Selectra que se tem afirmado como uma verdadeira ajuda no processo de selecção da melhor solução para os consumidores de luz e gás, que pretendem acima de tudo, conhecer as ofertas de poupança presentes no mercado.A loja luz faz a mediação entre a relação companhia-cliente, direccionando as soluções oferecidas pelas empresas, às necessidades dos consumidores. actualmente. Para isso oferece alguns calculadores e simuladores.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Poupar em iluminação: lâmpadas leds

Como muitos de vós já deve ter reparado facilmente temos contas de electricidade bastante elevadas. Há alguns truques que devemos ter em consideração para poupar em energia eléctrica.

A utilização de lâmpadas led é uma excelente aposta e garante o retorno do investimento.

A utilização de lâmpadas economizadoras também é uma boa aposta quando as lâmpadas led ainda são um grande investimento.

No meu caso tenho tinha lâmpadas na minha sala de 50W que foram substituídas por lâmpadas led de 5W que emitem uma luz semelhante.
 

Fazendo a conta a 6 lâmpadas em utilização uma hora diária (que normalmente até é mais), tenho um consumo de 300w por dia, 9000w por mês e 106800w por ano. Ou seja considerando o custo de Kw/h de cerca de 10 cêntimos. Tenho um gasto anual de 10,6 € com as lâmpadas antigas e de 1,06€ com as lâmpadas led novas.

Sendo que cada lâmpada led me custou 5 euros, ao final de cerca de 3 anos tenho o investimento pago e começo a poupar.

Os leds que comprei têm uma vida útil de 15000horas, ou seja pela conta de uma hora de utilização por dia dá cerca de 40 anos. (este valor parece um pouco exagerado, mas mesmo que sejam 6-10 já poupara dinheiro).

Comece por substituir aquelas lâmpadas que mantêm acessas durante mais horas e começara a ver a sua fatura da electricidade reduzida.

Boas poupanças!

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Aluguer de carros Low Cost: A opção mais barata

A crise económica apertou, mas tirar umas férias é sempre importante para se desligar da rotina do dia-a-dia. Mas é sempre possível fazer um esforço na gestão do seu orçamento e vai poupando para poder ir alguns dias disfrutar do campo, praia, cidade ou montanhas.

Os combustíveis representam um gasto elevado mesmo com a entrada no mercado das gasolineiras low cost. Ainda assim existem sempre soluções.

Aproveite os voos baratos oferecidos por empresas para os períodos de férias. Ou comprar um bilhete de comboio não é muito caro. Também pode optar por uma viagem de autocarro, muito mais barata do que as duas opções anteriores.

Mas como pode chegar ao seu destino se não tem meio? A melhor opção é o aluguer de carros low cost, cada vez mais numerosos. Existem muitas empresas que oferecem preços acessíveis e é a estas que se tem de dirigir se quiser economizar algum dinheiro.

Muitas das empresas de 'rent a car' oferecem promoções muito interessantes e pode alugar um carro por cerca de 80 euros por semnaa. Também muitas vezes nos são oferecidos descontos para reservas antecipadas, e assim pode-se economizar até mais que 20%.

Abaixo uma lista de algumas empresas onde pode encontrar um carro de aluguer a preços muito acessíveis:

  • Goldcar: Oferecem quilometragem ilimitada e um monte de veículos para escolher. Possui escritórios nas principais cidades europeias, incluindo Portugal.

  • Budget: Aí vai descobrir grandes descontos se reservar com antecedência.

  • Easycar: Se o seu destino é a Europa, esta empresa oferece descontos até 25% em reservas.

  • Pepecar: Esta empresa tem como lema oferecer os melhores preços em aluguer de carros

  • Outras: Certamente, se pesquisar na web vai encontrar um monte de sites e empresas de aluguer de automóveis que não está tão familiarizado, mas que podem oferecer bons negócios.

Para não ter o trabalho de pesquisar empresa a empresa é uma excelente opção utilizar um comparador de preços. Por exemplo o site www.alugarcarrosbaratos.pt faz comparações entre mais de 900 empresas de rent a car em cerca de 180 destinos.
 carros baratos

Assim aproveite o máximo das suas férias sempre a preços low cost…