quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Poupar em tinteiros

 

Hoje em dia, a necessidade faz-nos encontrar diversas formas de cortar nas despesas, e tal pode ser feito sem que se tenha necessariamente de cortar nas actividades que pretendemos desenvolver. Aprendendo a poupar em tinteiros poderá possibilitar-lhe imprimir gastando menos dinheiro.

Provavelmente já se sentiu indignado quando foi comprar um conjunto de tinteiros para a sua impressora e gastou mais do que lhe custaria uma impressora nova não já?

Existe uma forma de reduzir este custo. É verdade que com a sugestão que lhe apresento não poderá manter o padrão de qualidade a 100%, no entanto é mais do que suficiente para a utilização da maioria dos comuns mortais. A verdade é que é difícil perceber quando estamos ou não na presença de tinteiros reciclados. Alguma qualidade de impressão que se perca é de longe compensada pela quantidade de dinheiro que poupa. Bem, estou a falar de comprar tinteiros reciclados de marcas concorrentes aquelas recomendadas pelo fabricante da sua impressora. Normalmente, a oferta de tinteiros reciclados apresentam custos bastante mais baixos dos originais e com capacidade superior (normalmente mais do dobro). Ou seja, poupa no preço e ainda na quantidade de impressões que pode fazer com um único tinteiro.

Estes tinteiros encontram-se à venda normalmente em lojas especificas de consumiveis reciclados e podem ser frequentemente encontradas em centos comerciais.  A prink, a recitoner são exemplos de algumas das lojas existentes no mercado, sendo que se podem encontrar muitas mais.

Para além dos tinteiros prontos a utilizar é frequente encontrar-se nestas lojas kits de enchimento de tinteiros. Ou seja, você adquire o kit e frascos de tinta que normalmente apresentam elevadas capacidades (por vezes 5 a 10 vezes a capacidade de um tinteiro original). Estes kits por norma incluem uma espécie de seringa, assim como outros acessórios que lhe permitem reencher o seu tinteiro quando este chegar ao fim. Esta é sem dúvida a solução mais económica, mas também aquela que lhe vai deixar as mãos cheias de tinta, mas se for paciente será muito bem sucedido.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Ginásios low cost

 

O conceito low cost  tem vindo a generalizar-se a todas as áreas, tal é proporcionado pelas necessidades actuais dos consumidores - poupança para fazer face às dificuldades actuais no país. Redução significativa de preços cobrados ao consumidor em serviços, que são obtidos cortando em áreas complementares aos mesmos, como é o caso de cortar as refeições nos voos low cost e também ocorrendo uma reorganização de meios humanos e físicos de forma a permitir esta redução de preços.

O low cost bateu à porta dos ginásios, se aquela mensalidade gigantesca o afastou das suas actividades preferidas chegou a hora de voltar. Se ainda não abriu, pode estar para breve a abertura de um destes ginásios perto de si.

Não é de mais relembrar que a prática de exercício físico apresenta sem sombra de dúvida uma melhoria do bem estar físico e psicológico, pelo que recomendo vivamente a sua pratica, embora por vezes também tenha de lutar contra a minha preguiça… É uma boa oportunidade para também alargar a sua vida social conhecendo novas e diferentes pessoas.

Na generalidade estas ginásio conseguem mensalidades apartir dos 30€ mensais, o que face aos habituais cerca de 50€ parece bastante interessante. Alguns destes ginásios também apostam na inexistência de fidelização, o que representa menos um peso para nós consumidores que a qualquer momento podemos romper com a mensalidade.

O Fitnesshut oferece taxas apartir de 6.60€ por semana, praticamente metade do que lhe seria cobrado no ginásio comum. Este ginásio existe em Lisboa (Amoreiras) e tem abertura prevista para breve em Cascais e Oeiras.

Também o Easygym oferece ginásio e Spa low cost.

Desta forma consumidores (reduzindo custos) e empresários (aumentando clientes) se juntam em forma de vencer a crise que teima em permanecer. Desta forma pode aproveitar o que poupou comprando um mimo para si.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Poupar em transportes

 

Os transportes absorvem uma boa parte dos nossos rendimentos mensais. É verdade que não podemos cortar nas nossas deslocações (se calhar até podemos, mas não é disso que vou falar). No entanto, existem diferentes formas para diminuir os seus gastos em transportes, basicamente quanto mais andar a pé e de bicicleta mais poupa em transportes, mas dê uma vista de olhos nas sugestões que a seguir apresento:

andar mais a pé e de bicicleta


Uma excelente opção aos transportes, sobretudo nas zonas urbanas trata-se de andar a pé ou de bicicleta, não tem custos, poupa o ambiente e ainda está a contribuir para a melhoria da sua saúde (podendo até prescindir do ginásio).

mais transportes públicos e menos automóvel


Esta é uma opção que normalmente custa a quem pode usufruir da comodidade do seu carro. Muitas vezes podemos optar por fazer parte ou a totalidade do trajecto casa-trabalho em transportes poupando algum dinheiro e ainda podendo aproveitar aquele tempinho para ler um livro ou desfolhar o jornal.

motas económicas


Recentemente surgiram no mercado umas motas de 125 cc que apresentam consumos muito económicos – cerca de 2 litros de gasolina por cada 100 quilómetros percorridos, o que significa que com cerca de 3€ consegue fazer 100  quilómetros. Em média gastaria 9€ para fazer o mesmo num carro a gasolina.

Estas motas podem ser conduzidas com carta de carro (para quem tem mais de 25 anos de idade) e podem ser adquiridas novas por valores próximos dos 2500€, o que me parece bastante razoável para uma mota nova. Quando se trata de manutenção estas têm custos muito inferiores aos de um automóvel.

Outra vantagem deste meio de transporte é que não paga estacionamento, trata-se portanto de uma excelente opção. Você que tem dois carros em casa e porque não trocar um deles por uma destas motas?

partilhar transporte com colegas de trabalho/vizinhos


Recentemente comecei a partilhar a minha ida para o trabalho com uma colega, como costumava ir de carro, as minhas despesas com combustível ficaram reduzidas, ou seja, encaixo cerca de 50€ todos os meses. Claro que se perde alguma comodidade, mas sem dúvida uma boa experiencia, para além de dividir as despesas ainda tenho companhia. Com isto tudo estamos a poupar o meio ambiente.

Se por acaso não tem a sorte que eu tive e não conhece nenhum colega/vizinho/amigo que faça o mesmo trajecto que o seu pode experimentar procurar alguém na internet. Encontrei alguns sites destinados a estas boloias no Google, que tal começar a sua pesquisa?

Já viu como é possível dar a volta à crise, melhorar a sua saúde e tornar o meio ambiente mais saudável tomando apenas algumas atitudes? É difícil vencermos a nossa rotina e mudarmos os nossos hábitos mas depois sentimos que valeu a pena a mudança e sentimo-nos bem com isso!

 

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Steve Jobs

 

Steve Jobs, fundador da Apple, faleceu a 5 de Outubro na sequência de um cancro no fígado que já lhe tinha sido diagnosticado à alguns anos atrás.

Tratava-se de um visionário criador assim como um grande amante da família.

“A morte é muito provavelmente a melhor invenção da vida”, afirmou Steve Jobs, em 2005, numa plateia de estudantes da Universidade de Stanford.

Aconselho-vos a ver esse discurso no video abaixo. Tratam-se de três lições de vida com as quais podemos aprender. Com este vídeo poderá certamente ficar a conhecer um pouco melhor acerca de Steve Jobs.

Este vídeo pode facilmente ser encontrado pesquisando por “Steve Jobs discurso stanford”

Discurso de Steve Jobs


segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Pai rico, pai pobre



 

Recentemente li o livro “pai rico pai pobre” de Robert Kiyosaki. Trata-se de um livro de educação financeira onde o autor pretende ensinar e encorajar as pessoas a lutar contra uma rotina a que chama de “rotina dos ratos” – à medida que os nossos rendimentos aumentam temos tendência a aumentar também as nossas despesas levando a que constantemente tenhamos pouca liquidez financeira. Acima de tudo Robert Kiyosaki em pai rico pai pobre incentiva à poupança para nos conseguirmos ver livres deste ciclo. Aproveite e aprenda a dar a volta à crise.

Uma frase que o caracteriza é “Assuma a responsabilidade das suas finanças pessoais ou receba ordens toda a sua vida. Você ou é senhor do seu dinheiro ou seu escravo”

 

DEZ PASSOS sugeridos no livro:

 

1.Preciso de uma razão maior do que a realidade.

“Uma razão ou um propósito é uma combinação de alguns ‘quero’ e alguns ‘não quero’. Quando as pessoas me perguntam qual a razão que me levou a ser rico, digo que foi a combinação profunda e emocional dos ‘quero e ‘não quero’…”

 

2.Escolho todos os dias.

“Financeiramente, com cada dolar que temos em nossas mãos, temos o poder de escolher nosso futuro de ricos, pobres, ou classe média. Nossos hábitos de despesa reflectem quem nós somos. As pessoas pobres têm simplesmente maus hábitos de despesa.”

 

3. Escolha os amigos com cuidado.

“O poder da associação. Em primeiro lugar, não escolho meus amigos levando em conta suas demonstrações financeiras. Tenho amigos que fizeram, de facto, voto de pobreza, bem como amigos que ganham milhões todo ano. O importante é que aprendo com todos eles e faço um esforço consciente para isso.”

 

4. Domine uma fórmula e então aprenda outra

“Muitos de nós já ouvimos a expressão ‘Você é o que você come’. Eu tenho uma variação ‘Você se torna o que você estuda’. Em outras palavras, seja cuidadoso com o que você estuda e aprende, porque sua mente é tão poderosa que você se torna aquilo que você põe em sua cabeça. Por exemplo, se você estuda culinária, você tende a ser cozinheiro. Se você não quer continuar sendo cozinheiro, precisará estudar outra coisa…Escolha cuidadosamente o que você estuda.”

 

5. Pague a si mesmo primeiro

Neste ponto o autor aconselha à poupança mensal e para tal é necessário autodisciplina. “O poder da autodisciplina. Se você não se controla, não tente ficar rico. Talvez fosse bom entrar para a Marinha ou alguma ordem religiosa aprender a se controlar. É a falta de autodisciplina que leva à falência muitos vencedores de loteria pouco depois de eles terem ganhado milhões. É a falta de autodisciplina que leva pessoas que acabaram de obter um aumento a comprar um carro novo ou fazer um cruzeiro…”

 

6. Pague bem as seus corretores.

“Hoje, tenho a meu serviço advogados, contadores, corretores de imóveis e de ações caros. Por quê? Porque se, e destaco o se, as pessoas são profissionais, seus serviços devem render dinheiro para você. E quanto mais dinheiro ganharem, mais eu ganho.”

 

7. Seja um doador “indio”

“Este é o poder de obter alguma coisa a troco de nada.”

 

8. Activos compram superfulos.

Com este principio o autor do livro aconselha a que compre os seus bens superfulos com activos que adquiriu e nunca pedir um financiamento para os obter.

 

9. A necessidade de heróis

“ Heróis fazem com que as situações pareçam fáceis. Ao parecerem fáceis nos convencem a querer ser como eles. ‘Se eles conseguiram, eu também consigo.’ Quando se trata de investimentos, há gente demais para complicar. Procure heróis que façam as situações parecerem fáceis.”

 

10. Ensina e receberás

“Se eu tivesse de passar apenas uma única idéia para o leitor, seria esta. Sempre que você sentir ‘falta’ ou ‘escassez’ de alguma coisa, doe, antes, o que você quer e isso retornará para você aos montes. Isso é verdadeiro para dinheiro, sorrisos, amor, amizade…”

 

Outras sugestões do autor:

- Pare para pensar no que está a fazer. Pare de fazer o que não funciona e procure algo novo para fazer. Procure novas formas de investimento, aprenda através da leitura de livros.

- Acção! Muitas pessoas não agem ou se desmotivam ao primeiro comentário negativo.

- Descubra alguém que tenha feito o que você deseja fazer e troque impressões.

- Faça cursos e leia livros.

- Quando quiser comprar alguma coisa faça ofertas abaixo do preço solicitado.

E muito mais…

 

“ O mais difícil quanto à formação de uma fortuna é ser fiel a si próprio e estar disposto a não acompanhar a multidão. No mercado é muito comum que seja a manada a chegar tarde e ser abatida. Se um grande negocio está nas manchetes, na maioria dos casos é tarde de mais. Procure um negócio novo….As pessoas que apanham a onda tarde são as que se dão mal”

 

Recomendo a leitura deste livro a todos os que pretendem aprender sobre finanças pessoais, os que buscam inspiração para os seus projectos e os que pretendem adquirir a sua independencia financeira.