quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Apertar o cinto até onde?


 

Apertar o cinto tem-se tornado uma expressão muito recorrente nos últimos anos no mundo da Política e nada mais é que uma metáfora para “temos de reduzir as despesas”.

Certamente que muitos de vós, tal como me acontece a mim também, percebe que o cinto já está muito apertadinho. E também acontece estar a apertar o cinto vezes de mais… E então vale a pena apertar tanto?

Cada um de nós deve avaliar a sua situação financeira e a importância de fazer uma poupança mensal (10% a 15% dos rendimentos já é bem bom) e ver se há folga ou não para disfrutar mais um pouco. Se por um lado sou contra o consumismo exagerado no que diz respeito a produtos adquiridos que hás vezes nem sequer saem da prateleira, penso que apostar em novas experiencias pode dar-nos ânimo para continuar a viver sempre com um sorriso na cara.

Portanto acho que devemos apostar naquilo que realmente nos dá prazer como é o caso de um jantarzinho fora, umas férias… Todas estas experiências que nos fazem crescer e nos deixam memórias vivas são importantes de se ir fazendo… Agora todos os telemóveis (topo de gama ou não) que já nos passaram pelas mãos… esses passam rápidamente para um segundo plano.

Fica então hoje um post mais reflectivo e menos técnico.

Aproveitemos a vida, pois ela tem muito para nos dar, mesmo que poupadinhos! ;)

 

Sem comentários:

Enviar um comentário