segunda-feira, 23 de abril de 2012

Poupar em impressões

poupar em impressoes

A impressão tornou-se o “prato do dia” e quase todos nós temos uma máquina destas em nossa casa. Embora o preço das mesmas não seja significativo, deparamo-nos com gastos significativos em consumíveis (tinteiros), que muitas vezes apresentam preços superiores ao da aquisição das próprias impressoras.
No que toca a poupar (neste caso em impressões) existe a óbvia preocupação económica (reduzir os gastos) mas também não devemos descurar a poupança ambiental que estamos a realizar. Cada vez mais é importante termos esta consciência pois se assim não for estamos a hipotecar o futuro das próximas gerações.
Se quiser aproveitar para também poupar no papel experimente imprimir utilizando a frente e o verso das folhas.
Existem alguns truques que nos podem ajudar a diminuir a factura das impressões. Esses truques podem no meu entender surgir por três vias distintas, são elas:
- Diminuir a qualidade de impressão
- Poupar na compra de consumíveis
- Racionalização das impressões

 

Diminuir a qualidade de impressão


Na minha impressora utilizo normalmente por defeito a impressão “rápida” onde é utilizada menos quantidade de tinta, quando comparado com o modo “normal” ou de “apresentação”.
Para escolher esta opção tem de ir às configurações da Impressoras > seleccionar a sua impressora > escolher preferências de impressão > papel/qualidade e escolher a opção fast (rápida).
Um outra opção que também costumo escolher por defeito é a utilização exclusiva do tinteiro preto, claro que esta opção pode não ser muito pratica uma vez que cada vez que se pretende efectuar impressões a cores esta opção tem de ser desactivada.

 


Poupar na compra de consumíveis


Os consumíveis das marcas apresentam preços bastantes elevados. Existem no mercado tinteiros de marcas alternativas, tinteiros reciclados ou até kits de enchimento que nos permitem poupar imenso na compra dos consumíveis.
Tenha em atenção a capacidade dos tinteiros (em mililitros) que adquire. Existem tinteiros reciclados com o quadruplo da capacidade que os recomendados pela marca e ainda assim mais baratos.
Muitas vezes nem sequer se nota a diferença na qualidade de impressão quando comparado com o produto recomendado pela marca.

 


Racionalização das impressões


Existem muitos documentos que imprimimos e que por vezes nem sequer chegamos a ler. Estes podem muito bem ficar arquivados em pastas no seu computador pessoal e apenas ser impressos quando for mesmo necessário.
Para o caso dos estudantes que muitas vezes imprimem slides do PowerPoint (apresentações) podem imprimir duas ou quatro páginas por folha, reduzindo assim significativamente o consumo de papel.

Se tem dificuldade em gerir os seus ficheiros e pastas em diversos computadores recomendo o My dropbox que lhe permite ter os seus ficheiros e pastas sincronizados em vários computadores.
Com pequenas medidas que se vão adoptando no nosso dia a dia é possível fazer render o nosso orçamento mensal e ainda contribuir para um melhor ambiente… ;)

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Dicas para investir



 

É verdade que  hoje em dia quem se preocupa em investir já parece um ser privilegiado, isto dado o custo de vida actual e a tão falada crise. No entanto, é a melhor forma de adicionar alguma segurança ao nosso futuro. Isto quer se trate do caso de desenvolvimento de algum projecto (compra de uma casa, uma viagem, estudo dos filhos, etc) ou de simplesmente acautelar algumas despesas inesperadas.

 

Definir os objectivos


É muito importante que defina quais são os seus objectivos em termos de poupança e investimento para saber para onde está a caminhar. Para uns um pequeno pé-de-meia para outros assegurar a reforma aos 40. Seja qual for o seu objectivo, definia-o e mantenha-o sempre presente. Caso contrário a sua motivação para poupar será minima. Mas isto acontece para tudo na nossa vida...

Controlar o impulso


Boa parte das nossas compras são realizadas por impulso, o que leva a que muitas vezes se adquiram produtos desnecessários ou a preços elevados. É importante manter um equilibrio neste ponto. Claro que por vezes temos mesmo de ir atrás do nosso impulso… é mais forte!

Começar já


Quando se trata de poupar (e consequentemente investir) a melhor altura é mesmo AGORA e não ir deixando para o próximo mês, ano, etc…

Pagar primeiro a si próprio


Como já tenho referido aqui encarar a sua poupança como uma despesa é uma excelente forma para ser bem sucedido. No inicio do mês transfira o dinheiro para uma conta poupança, se esperar pelo final do mês vai ver que aquilo que supostamente iria poupar já foi gasto.

 Capitalização dos Juros


Existem os juros simples e os juros compostos. Basicamente os juros compostos consistem em receber juros sobre a acumulação do capital investido e os juros já vencidos. Embora lhe possa saber bem receber os juros na conta de depósitos à ordem, evite esta situação ao máximo pois, a médio/longo prazo estará a ter ganhos muito inferiores. Veja na tabela abaixo uma comparação entre a acumulação de capital no caso de juros simples e de juros compostos, no caso de 1000€ investidos ao longo dos anos (a uma taxa liquída de 7,5%).
Quanto maior o prazo de investimento mais significativa é a diferença. Posto isto, opte sempre que possível por juros compostos.

 





























Anos


Juros SimplesJuros Compostos

5


1375€1436€

10


1750€

2061€


202500€

4248€


303250€

8760€



 

Diversificar os seus investimentos


Já o famoso ditado popular “não coloque todos os ovos no mesmo cesto" o diz. Atenção, diversifique! Entre imobiliário, acções, depósitos, obrigações, fundos, terrenos, etc… Tem muito por onde escolher e para se salvaguardar o melhor mesmo é que diversifique!

 

segunda-feira, 9 de abril de 2012

20 dicas rápidas para Poupar

 





Há muito por onde cortar... Espero que as sugestões seguintes o ajudem a fazer render o seu orçamento mensal. Difícil será implementar todas as dicas, no entanto, experimente começar por aplicar uma de cada vez. Passe para a seguinte quando estiver “à vontade” com a anterior.
Se adoptar pelo menos uma sugestão já estará a poupar certamente. As dicas que são apresentadas foram divididas em casa; fora de casa e supermercado. Muitas outras divisões poderiam ter sido feitas.


 

Poupar em casa:
1 – Opar pela tarifa bi-horária (opção da EDP em que a energia é mais barata à noite)
2 – Utilize lâmpadas ecónomicas em sua casa.
3 - Usar sites de leilões e classificados para comprar e vender produtos usados ou mesmo novos.
4 - Cultivar uma horta, mesmo que pequena. (se tiver terreno para isso)
5a - Reavaliar o pacote de TV +NET + TELEFONE. Será que precisa mesmo de 100 canais?
5b - Reavaliar o seu tarifário de telemóvel
6 - Investir no isolamento da sua casa. Poupando no aquecimento e arrefecimento da mesma.
7 - Colocar um volume (uma garrafa de água por exemplo) dentro do auclismo para diminuir a quantidade de água gasta em cada descarga.
8 - Rever os seus seguros. Faça novas simulações para ver se encontra tarifas mais baixas. Também é válido procurar melhores preços junto da sua seguradora actual.

 

Poupar fora de casa:

9 - Levar marmita para o trabalho (em vez de almoçar fora)
10 - Utilizar gasolineiras low cost
11 - Reduzir nos cafés, pequenos-almoços e jantares fora de casa.
12 - Partilhar o seu carro com um colega ou utilizar os transportes públicos, tornando assim a viagem mais barata.
13 - Repensar as escolas privadas (dos filhos)
14 – Ler nas bibliotecas. Tenha acesso a livros e revistas/jornais gratuitamente.
15 - Planeie as suas viagens com antecedencia, obtendo melhores preços nas viagens de avião e no alojamento.
16 – Substiua o ginásio por actividades ao ar livre.

 

Poupar nas compras

18 – Coma antes de ir às compras, está estudado que fazer compras com fome aumenta a probabilidade de comprar produtos em excesso.
17 - Prefira fruta da época. Normalmente mais barata.
18 - No supermercado opte por marcas brancas
19 - Aproveite os saldos e as promoções. No entanto tenha cuidado para não estar a comprar algo de que não necessita.
20 – Compre embalagens maiores nos produtos que consome mais. Normalmente estes apresentam preços por quilograma mais baixo do que no caso de embalagens mais pequenas.

 

O que pode fazer para compensar a diminuição do consumo?
Pode dedicar-se em actividade com a sua família, refeições em casa e actividades lúdicas ao ar livre. Passear pela praia e pelo campo.
Ter hobbies que realmente dão satisfação. Com alguns deles até poderá aproveitar para ganhar algum dinheiro, por exemplo se gosta de fazer bijuterias ou bolos (no caso dos homens, bricolage). Vendendo pequenos produtos/serviços poderá aumentar o seu rendimento e ter prazer nisso.
Dedicar-se a uma pequena horta em sua casa poderá trazer imensas vantagens, tais como a obtenção de alimentação mais saudável, a diminuição das despesas no supermercado (claro que tem de pagar a água da rega, etc) e também permite a prática de exercício físico gratuito.

 

Gostou das dicas? E que tal fazer um like na página do facebook do poupareinvestir para novas dicas que se seguirão?

segunda-feira, 2 de abril de 2012

A importância de poupar

 


 

O que é a poupança?

Poupança é a parte do rendimento que não é gasta quando é recebida e que é guardada para ser gasta mais tarde

A poupança é o instrumento que nos permite salvaguardar o Futuro. Seja a pensar na nossa reforma, num investimento (a compra de uma casa por exemplo) ou outro fim qualquer que lhe queiramos dar. Ter uma poupança permite-nos enfrentar melhor uma dificuldade ou imprevisto como é o caso de ficar desempregado ou de uma doença, assim como nos permite ir atingindo as nossas metas (um curso superior, uma viagem, uma casa, um carro.. etc).

Para os mais ambiciosos uma poupança bem feita associada a bons investimentos pode garantir a independencia financeira, ou seja, obter rendimentos dos seus activos que lhe permitam não ter de trabalhar mais na vida (claro que quanto mais cedo se conseguir melhor).

 

Qual a melhor forma de garantir que faz poupança?

A melhor forma de garantir que faz poupança é através da transferencia de parte dos seus rendimentos logo no inicio do mês para uma conta à parte. Ou seja, pague primeiro a si próprio. Se está à espera de o fazer no final do mês vai verificar que quando este chega já pouco ou nada lhe sobrou, não conseguindo amealhar quase nada. Encare a poupança como uma despesa e será muito melhor sucedido.

 

Como ter consciência dos seus gastos?

Este ano começei a implementar um instrumento que pode parecer um pouco doentio mas de facto ajuda a ter noção dos nossos gastos e a ir fazendo algumas correccoes destes ao longo dos meses. Foi assim que comecei a partilhar boleia para o trabalho e a levar marmita. Trata-se de uma folha excel onde registo todos os meus gastos diários. Espero no futuro quando tiver mais dados fazer a partilha dessa informação aqui no poupareinvestir.

 

A importância de definir objectivos para poupar

Para se sentir motivado é importante que defina os seus objectivos e em função dos prazos desses objectivos optar pelos investimentos mais adequados. Os depósitos a prazo são das aplicações que garantem mais garantias e permitem uma desmobilização fácil (tenha atenção quando faz uma aplicação para conhecer bem todas as condições).

Exemplo de objectivos:

- Almofada financeira para imprevistos (desemprego, doenças…)

- Estudos (Universidade dos filhos)

- Carro ou Casa nova

- Viagem com a família

- Assegurar uma reforma estável

- Independência financeira (não ter de trabalhar mais, viver apenas dos rendimentos)

 

Dicas para tornar a poupança mais fácil

- O mais importante não é quanto ganha mas sim quanto gasta.

- Ter um registo ou uma verdadeira noção das nossas despesas, para assim facilmente encontrar os desperdícios.

- Encarar a poupança como uma despesa e mover uma percentagem dos rendimentos para uma conta à parte logo no início do mês.

- Lembre-se que um euro gasto podem ser dois euros ganhos (devido aos impostos, que hoje em dia estão muito pesados)

- Quanto mais cedo começar a poupar mais cedo atingirá os seus objectivos e melhores resultados terá. O seu capital duplica em sete anos aplicado a uma taxa de 10%, isto com capitalização dos juros (concordo que para obter taxas liquidas de 10% ao ano é preciso ser-se bastante iluminado, mas há quem consiga!).

- Aproveite a poupança para amortizar alguma divida que tenha (comece pelas que têm taxas de juro mais altas) e só depois vale a pena começar a investir.