terça-feira, 3 de julho de 2012

Crise: onde poupar?

Não se fala noutra coisa e já todos sentimos a tão indesejada crise no nosso dia-a-dia.

Como consequências da crise surgem por vezes situações muito complicadas no que diz respeito a manter uma vida minimamente digna, isto devido aos sucessivos aumentos de impostos, redução dos ordenados ou até mesmo perda destes.

Com este post quero ajuda a encontrar alguns cortes rápidos e significativos que podem resultar numa gestão mais folgada do orçamento.

 



 

Evite o carro. Os automóveis representam sempre uma fatia elevada das nossas despesas, são os combustíveis, manutenção, impostos etc. Se tem dois em casa tente ficar só com um. Se tiver apenas um e viver num local com boa rede de transportes experimente prescindir deste. Ter uma mota pode ser uma solução intermédia, tem menos despesa e também permite uma óptima mobilidade. Quem tem filhos está mais limitado.

Corte na televisão. Um pacote de televisão paga (incluindo internet e telefone) ronda os 50€ mensais dependendo do serviço, se o seu orçamento está apertado pode começar por aqui. Não se esqueça que 50€ por mês, são 600€ no final do ano.

Evite refeições fora e leve marmita para o trabalho. Sabe muito bem uma refeição fora de vez em quando, mas se o orçamento está apertado aqui é um dos sítios onde pode poupar dinheiro.

Acabar com o ginásio. Praticando na mesma exercício físico mas de forma gratuita, como é o caso da caminhada, corrida, bicicleta, etc..

Acabar com as subscrições/assinaturas. Parece um custo insignificante mas no final do ano se somarmos todas as subscrições é uma soma considerável.

Já aqui apresentei 20 dicas para poupar, pode aproveitar para espreitar e tentar implementar mais algumas dicas. Boa sorte!

É muito importante fazer um registo diário das suas despesas, para assim perceber para onde está a ir o seu dinheiro. Muitas vezes a gestão orçamental pode ser optimizada, para tal só precisamos de ter a consciência de onde está o nosso dinheiro a ser gasto.

Idealmente deveria poupar cerca de 10% do seu rendimento mensal para assim facer face a situações futuras. Embora este ponto não pareça fácil de implementar nesta altura de crise, trata-se muitas vezes de uma atitude, não se esqueça de pagar primeiro a si próprio.

1 comentário:

  1. Nao devemos esquecer tambem para poupar de comprar usados porque muita gente joga fora o que ainda esta em muito bom estado e da para poupar muito mesmo muito.

    ResponderEliminar